Monthly Archives: março, 2015

 O nosso amigo Alissin conhecido carinhosamente pelos amigos, recebeu alta nesta segunda-feira(30) e já está se recuperando em casa, com a família.  Após sofrer uma tentativa de homicídio, na Praça Walter Ferreira no centro da cidade. 

Alissin utilizou sua página na rede social facebook para comunicar a alta médica, e aproveitou para agradecer, primeiro a Deus, e aos, amigos e familiares pelo carinho orações. Em menos de meia hora, a mensagem de Alissin já havia recebido vários comentários e dezenas de curtidas.
“DEUS obrigado por ter permitido a continuidade da minha existência! Gostaria de agradecer imensamente as diversas manifestações de carinho e orações pela minha recuperação. Deixei o hospital e estou em casa me restabelecendo com a ajuda de DEUS, familiares e amigos”.

Veja abaixo reprodução da mensagem do jovem Alissin:
Ainda no segundo semestre deste ano, Deputados e Senadores votarão a Reforma Política e um item é destaque: a prorrogação dos mandatos, por mais dois anos, de todos os prefeitos e vereadores eleitos em outubro de 2012. Eles terão, portanto, seis anos de mandato.

O projeto é  do deputado federal Edmar Arruda e segundo ele, em entrevista a uma emissora de TV nesta semana, afirmou que os parlamentares vão aprovar o projeto. “O clima é pela aprovação”, disse. 

Com isso, em 2018 — explicou Edmar — haverá eleição única para presidente da República, governadores, deputados estaduais, federais, senadores, prefeitos e vereadores.

Só por conta das viroses, o atendimento no Hospital de Vargem Grande aumentou de 600 para 750 pacientes por dia. 
Dor no corpo e de cabeça, febre, diarréia, são os mais conhecidos sintomas da virose que está vitimando a população de Vargem Grande. Sempre acompanhadas das chuvas, várias modalidades de viroses castigam os vargengrandense, que superlota a  emergências do hospital do município, quando poderiam ser atendidas nas unidades básicas de saúde nos bairros.


Por causa dessas viroses que sempre chegam com as chuvas, a média de atendimento diário do Hospital Beninto Mussolini,  aumentou de 600 para cerca de 750 atendimentos. A informação é da recepcionista de Plantão. Segundo ela, nas últimas semanas, foi registrado um aumento considerável de pacientes apresentando esse quadro clínico à procura de acompanhamento.


A vendedora Cléia Lima é uma das pacientes que faz parte desse perfil. Ontem pela manhã, acordou com febre, dor no corpo e dor de cabeça, além se dirigiu à emergência do Hospital. “Não fui nem trabalhar e vim direto para cá. Já tive dengue e achei os sintomas parecidos”, conta.


Depois da virose atingir sua esposa e sua filha, foi a vez do pedreiro Raimundo Nonato Alves. “Fui trabalhar e não agüentei, por isso vim logo para o hospital. Tive febre, diarréia, vômitos e muita dor no corpo”. Já a comerciante Rita Oliveira da Silva procurou o hospital por falta de ficha no posto. “Há duas semanas estou com os sintomas da virose”.
O médico alerta, no entanto, que se passar de 48 horas com manifestações fortes dos sintomas, é que a pessoa deve procurar uma unidade de saúde. “Normalmente, a pessoa se sente mal e procura logo o hospital que tem emergência, porque funciona 24 horas. O ideal é que o paciente se dirija primeiro para a unidade básica de saúde e, se houver necessidade, eles encaminham para a emergência”, recomenda.

Um casal identificado como Fernando de Sousa Brandão e Antônia Márcia Reis Barbosa morreu no início da manhã desta sexta-feira (27), na cidade de Peritoró, a 236 km de São Luís, após colidir frontalmente com uma carreta.
De acordo com informações de populares, o acidente aconteceu quando Fernando, que estava em uma motocicleta, realizou uma ultrapassagem em um local proibido. Sem perceber a presença da carreta bitrem, Fernando acabou colidindo de frente com o pesado veículo.
Após o choque, Fernando de Sousa Brandão e Antônia Márcia Reis Barbosa, que eram moradores do povoado Morada Nova, em Peritoró, não resistiram aos ferimentos e acabaram morrendo no local.
Presidente  Vargas como é de conhecimento de todos, vem nos últimos tempos  sofrendo com a falta de uma casa lotérica.

Tentando amenizar os transtornos sofridos pela população uma medida foi tomada pela caixa juntamente com a prefeitura municipal, enfatizando mais ainda o problema, é que  o pagamento do bolsa família esta sendo feito no prédio da prefeitura, como ocorria em 2003 ou seja a 12 anos atrás.

Já dona Raimunda que mora na rua São jorge, lembrou o assalto no social clube, onde era feito o pagamento do bolsa família em 2003. “Parece que eu ia morrer naquele dia, bandidos armados até os dentes invadiram o prédio, fez todo mundo de reféns efetuaram  vários disparos e levando todo dinheiro”,lembrou.

Para Rafael  morador do povoado Bom Fim. “Acordei 4 da manhã sem tomar café e já são 11:30 e nunca recebi o meu beneficio e ainda ter que enfrentar um sol escaldante não é pra qualquer um é uma verdadeira humilhação”, disse.

Veja também: Casal morre atropelado por carreta em Peritoró-MA

Força, determinação, raça, confiança, união e um objetivo: Vencer. Foi assim que o time de Presidente Vargas enfrentou ontem (26) o time de Vargem Grande (São Tomé), pela semi-final da copa Vargengrandense de futsal sub-40.

O jogo foi emocionante. No primeiro tempo o time de Presidente Vargas venceu por 3×2. A grande torcida Vargengrandense incentivou o time do São Tomé, que partiu pra cima, que aos 10 minuto do segundo tempo, uma cobrança de escanteio, Chinês empatou o jogo(3×3), mas faltando 7 minutos pra terminar o jogo, em um contrataque rápido, o artileiro do time Erivaldo desempatou o jogo e garantiu a vitória da sua equipe (4×3).
O goleiro Marco Leite com grande atuação e também contando com a sorte garantiu o placar para o time de Presidente Vargas, que agora vai enfrentar a equipe do estudiantes no próximo domingo(26) no aniversário da cidade de Vargem Grande, no Ginásio Gastão Vieira.

Com 41 mandados de busca e apreensão — 24 em Brasília, 16 em São Paulo e um no Ceará —, a Polícia Federal (PF) iniciou ontem operação para desarticular uma organização suspeita de fraudar julgamentos de processos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), do Ministério da Fazenda.


Os mandados alcançaram bancos, empresas, lobistas e integrantes do conselho, acusados de envolvimento em uma estrutura de corrupção e sonegação fiscal, cujos desvios podem chegar a R$ 19 bilhões. Batizada de Zelotes, a operação tem entre os investigados uma das empresas do empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que, até recentemente, era coordenador da Câmara de Gestão e Planejamento do Governo Federal. Nas buscas em São Paulo, os policiais federais apreenderam documentos e computadores na sede do Banco Safra, na Avenida Paulista.

O Carf é o tribunal administrativo que julga todos os autos de infração e processos administrativos que envolvem tributos federais. O conselho tem em mãos mais de dez mil processos que envolvem decisões sobre bilhões de reais. Ele é composto de mais de 200 conselheiros, sendo a metade deles auditores fiscais indicados pelo Ministério da Fazenda e a outra metade representantes de entidades de classe como a Confederação Nacional do Comércio (CNC). Cada conselheiro tem mandato de 3 anos e não recebe remuneração adicional por esse serviço.
Propina de 1% a 10% da multa devida
São dez conselheiros do Carf investigados, entre eles, Francisco Maurício Rebelo de Albuquerque Silva, pai do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), líder do PP na Câmara. O ex-secretário da Receita Federal e ex-presidente do conselho Otacílio Cartaxo e seu genro Leonardo Manzan são suspeitos das fraudes. Foram apreendidos documentos na sede do Carf, na casa de conselheiros, advogados e lobistas suspeitos de envolvimento nas fraudes.
Até o fim da tarde de ontem, a polícia apreendeu R$ 2 milhões em espécie. Pelas investigações da PF e do Ministério Público, representantes de empresas e bancos pagavam propina para conselheiros do Carf atrapalhar o andamento de processos fiscais e, com isso, reduzir ou mesmo eliminar multas e somas expressivas de impostos devidos e não pagos. O valor da propina, conforme a polícia, poderia variar de 1% a até 10% das multas a serem pagas.
De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), os crimes já denunciados envolvem o desvio de aproximadamente R$ 2,1 bilhões, enquanto os prejuízos podem chegar a cerca de R$ 5 bilhões.
O esquema teria sido iniciado em 2005, mas começou a ser investigado pela PF em 2013. Só nos últimos dois anos, mais de 70 processos suspeitos foram identificados. Nove deles foram encerrados e extinguiram cerca de R$ 5 bilhões do montante de créditos tributários lançado pela fiscalização da Receita.
Empresas do ramo bancário, siderúrgico e automobilístico são investigadas por contratar consultorias que tinham influência junto ao conselho e conseguiam controlar o resultado de julgamentos de forma a favorecê-las. A suspeita é que conselheiros cooptados manipulavam o andamento de processo, pedindo vistas e apresentando teses de maneira complexa e bem fundamentada para evitar decisão desfavorável às instituições.
— Percebemos que havia uma questão endêmica para fazer o patrocínio de interesses privados se utilizando de serviços públicos. A partir de agora, vamos tentar casar informações financeiras com movimentações processuais para fechar melhor as investigações sobre as pessoas investigadas — afirmou o delegado Marlon Oliveira Cajado.
Pelas investigações, as fraudes eram negociadas por intermediários de conselheiros e das empresas. As duas partes evitam contatos diretos. As propinas eram pagas disfarçadas de honorários advocatícios ou de consultorias. Nos casos mais graves, investigadores chegaram a cogitar pedido de prisão dos investigados. Mas o juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal, entendeu que as prisões seriam desnecessárias no momento.
A função do Carf é julgar recursos em que contribuintes questionam a cobrança de tributos, multas e juros. Para o procurador Frederico Paiva, que está à frente das investigações, a formação do conselho é frágil e facilita atos de corrupção.
— É preciso repensar esse modelo, basta cooptar um conselheiro do Ministério da Fazenda, por exemplo, que você já tem um julgamento favorável ao contribuinte — afirmou o procurador.
O Banco Safra informou que não se manifestaria sobre a operação em sua sede.
Fazenda instaura processos administrativos
Procurado pelo GLOBO, o empresário Jorge Gerdau disse, por intermédio da assessoria de imprensa da empresa, que não recebeu qualquer informação das autoridades sobre o caso. “A Gerdau esclarece que, até o momento, não foi contatada por nenhuma autoridade pública a respeito da Operação Zelotes”, afirmou em nota ao jornal. No texto, o empresário diz ainda que a Gerdau “também reitera que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos”.
Gerdau foi até recentemente presidente da Câmara de Política de Gestão. No primeiro mandato, foi um dos principais conselheiros da presidente Dilma Rousseff. O empresário teria pedido afastamento da câmara em dezembro. Mas no final do mês passado ele teve encontro com a presidente ainda na condição de coordenador da câmara.
A câmara, vinculada ao Conselho de Governo da Presidência da República, foi criada em 2011 com o objetivo de aprimorar a gestão, com propostas de redução de custos, racionalizando processos e serviços prestados à sociedade.
A assessoria do deputado Eduardo da Fonte informou que ele não vai comentar sobre o assunto.

Procurado, o Ministério da Fazenda se manifestou em nota, na qual informa que a Corregedoria-Geral da Fazenda e a Receita são partes atuantes do processo de investigação, em parceria com o Ministério Público e a Polícia Federal: “Estão sendo instaurados os processos administrativos disciplinares, sindicâncias patrimoniais e processos administrativos de responsabilização contra as empresas envolvidas (nos termos da Lei 12846, de 2013, conhecida como Lei Anticorrupção). Essas ações tem em vista à aplicação das medidas punitivas pertinentes, sem prejuízo da eventual responsabilização civil e penal.” A Fazenda destacou também uma série de reformas nos processos internos do Carf para dar mais transparência ao órgão.
Zelotes combatiam cobrança de impostos
A operação foi buscar seu nome na Antiguidade. Os zelotes eram um grupo criado na Judeia no ano 6 d.C. para combater a ocupação romana na região, mais especialmente a cobrança de impostos por Roma. O historiador judeu Flávio Josefo (37-100) os classificava como “quarta seita” do judaísmo, ao lado dos fariseus, dos saduceus e dos essênios, embora o Talmude — um dos livros sagrados do judaísmo — e historiadores posteriores não os identifiquem como grupo religioso à parte.
Os zelotes, cujo nome vem da palavra grega para fanático, pregavam ataques contra romanos e gregos, fossem militares ou civis, e mesmo contra judeus acusados de colaboracionismo. Durante a grande revolta contra a ocupação romana, em 66 d.C., o grupo teve papel de destaque, chegando a controlar a capital, Jerusalém, até ela ser tomada e destruída pelas legiões do general Tito, em 70 d.C. Segundo o Evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos, ao menos um dos seguidores mais próximos de Jesus, Simão, o Zelote, seria originalmente integrante do grupo.

Jornal o globo.



RIO — Morreu, por volta de 5h da manhã desta quinta-feira, o humorista Jorge Loredo, o Zé Bonitinho. O comediante, de 89 anos, estava internado no Hospital São Lucas, na Zona Sul do Rio desde o último 3 de fevereiro, onde permaneceu em estado grave. De acordo com o boletim médico, Loredo lutava há anos contra uma doença pulmonar obstrutiva crônica grave e um enfisema pulmonar, que o levaram à falência múltipla de órgãos. O corpo será velado nesta sexta no Memorial do Carmo, no Caju, a partir das 9h.
Observando o bem estar da população e para reforçar o combate a Dengue, a Prefeitura de Vargem Grande tem intensificado a fiscalização e limpeza de terrenos baldios. Lotes cheios de lixo e mato também podem se transformar em criadouros do mosquito da Dengue. Além de latas, pneus, garrafas e pratos de plantas, a doença pode se desenvolver nestas propriedades, quando mal cuidadas. 
Um edital de notificação foi publicado pela municipalidade, dando prazo de 15 dias para que os donos desses terrenos façam a roçada ou limpeza e se for o caso removam o lixo neles depositados. Passado o período a Prefeitura poderá executar o serviço e fazer a cobrança incluindo multa na conta do proprietário.
A prioridade de limpeza dos terrenos é definida a partir da avaliação dos profissionais da saúde.
 Caso haja confirmação de focos de Dengue no local, os proprietários recebem uma notificação e têm um prazo de três dias para executar a limpeza.
A manutenção de lotes é uma determinação que já existe no Código de Posturas da Prefeitura. Entretanto, devido ao descumprimento da norma, a implantação da Lei funciona como reforço ao cumprimento da determinação, uma vez que os terrenos baldios se tornaram um grande problema de saúde pública.

Veja também: Morre o humorista Zé Bonitinho.

Sou Josué Cantanhede Lopes morador do conjuntos domingos Aguiar da cidade de Presidente Vargas.
 “Nós enquanto cidadãos presvarguense nos sentimos entregue as trassas a ferrugem pelo poder público devido a prefeita morar em Vargem Grande nós não temos segurança, saúde, água potável.
A educação que liberta o cidadão esta se arrastando ao mesmo tempo gostaria de parabenizar a promotoria pública de Vargem Grande devido o seu cumprimento dos anseios da sociedade enquanto o poder judiciário está muito lento, a respeito das duas denúncias feita pela promotoria e a sociedade presvarguense espera uma resposta imediata de sim ou não e a resposta deve ser positiva, poque a auditoria foi feita pela CGU, que é um órgão federal, pois vivemos em um estado democrático de direitos e deveres.”

Josué Cantanhedes Lopés.

1 2 3 7
Como podemos te ajudar?