Monthly Archives: março, 2020

A Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão (SES) registrou, nesta terça-feira (31), mais 21 casos confirmados de Covid-19 em São Luís. Com isso, sobe para 52 o número de casos confirmados por laboratório.

A SES registrou mais 456 casos descartados. No momento, existem 754 casos suspeitos aguardam resultados de testes e estão em isolamento.

Dos novos casos, um paciente encontra-se em estado em estado grave em unidade hospital da rede privada. Os demais com recomendação de isolamento domiciliar.

Entre os 31 casos já divulgados, três estão assistidos por hospital da rede privada e dois na rede pública. 19 permanecem em isolamento domiciliar monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) e um caso foi a óbito.

Atualmente, seis casos confirmados receberam alta da quarentena. Segundo orienta o Ministério da Saúde, os pacientes atendem ao critério por terem passado 14 dias em isolamento domiciliar, a contar da data de início dos sintomas, e seguem assintomáticos.

Na noite desta terça-feira (31) um Sargento da Polícia Militar foi vítima de tentativa de assalto na avenida 7, no bairro do Maiobão. Segundo a polícia, o Sargento, identificado como Airton, foi atingido com um tiro.

Segundo informações policiais, ele foi atingindo com um tiro no braço e foi encaminhado para o hospital por militares da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM). O estado de saúde dele é estável.

Ainda segundo a polícia, dois homens chegaram numa moto para assaltar o Sargento e atiraram duas vezes, o PM revidou com 6 tiros e os suspeitos fugiram deixando a moto no local.

Segundo os registros, a moto é roubada e os policiais ainda estão realizando as buscas em áreas próximas, mas sem nenhuma apreensão.

O líder indígena Zezico Rodrigues Guajajara, da TI Araribóia e diretor do Centro de Educação Escolar Indigena Azuru, foi encontrado morto a tiros, na estrada da Matinha, próximo à aldeia Zutiua, no município de Arame.

A Secretária de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) já acionou, através da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), a Força Tarefa de Proteção a Vida Indigena, a FT-Vida.

Segundo relatos de indígenas compartilhados em grupos de conversa de telefone, o corpo de Zezico foi achado por volta das 12h00 desta terça-feira (31) numa estrada que dá acesso à aldeia onde ele vivia, a Zutiua, no município de Arame (MA), onde vivem cerca de 1 mil indígenas.

De acordo com um amigo de Zezico e indigenista que tem um tem um longo trabalho na terra indígena Arariboia, Carlos Travassos, o guajajara era uma importante liderança da região.

“É até difícil para mim falar sobre ele nesse momento. Conversamos ontem ao telefone. Sempre que eu ia para o Arame, procurava falar com ele. Ele era uma das grandes lideranças da Arariboia na região do Arame. Foi um cara que sempre apoiou o grupo do Guardiões da Floresta desde o começo. Nessa região toda ele tinha um papel muito importante, uma referência na região, era ouvido pela imprensa da região. Sei que ele era visto na região por muitos madeireiros como um ‘culpado’ na reação dos indígenas à atividade madeireira, mas não tenho como afirmar se estavam ocorrendo agora ameaças contra ele. Houve, sim, relato de ameaças no passado.”

Os Guardiões da Floresta são um grupo hoje estimado em 120 indígenas que fiscaliza e se opõe ao roubo de madeira dentro da Arariboia. Em novembro passado, um dos mais destacados “guardiões”, Paulo Paulino, foi morto com um tiro dentro da Arariboia. A investigação da Polícia Federal concluiu que ele foi baleado por um grupo de caçadores clandestinos na terra indígena. Na mesma ocasião também morreu, com um tiro, um dos caçadores – a PF concluiu que o tiro partiu dos próprios invasores, no meio da confusão. Outro guajajara, Laércio, saiu ferido com um tiro.

Em um vídeo gravado em 2016, Zezico aparece dizendo que há “exploração ilegal da terra e entrada desordenada da terra por fazendeiros, que estão acabando com os limites da terra indígena Arariboia”.

Com informações de Rubens Valente/UOL

O ex-jogador de futebol Severo, de 69 anos, proprietário do Bar  Stresse Zero, localizado na Avenida Sol Nascente, no Bonfim, no bairro Anjo da Guarda, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Iatqui-Bancanga, na madrugada desta terça-feira (31), com suspeita de Covid-19. As informações são do Blog Gilberto Lima.

Pelas informações, compartilhadas em grupos de whatsapp por amigos, Severo estava gripado e com febre deste a sexta-feira (27). “Mesmo gripado, ele continuavas atendo as pessoas no bar. Na segunda-feira (30), ele foi levado à UPA porque estava sentindo falta de ar. Ele morreu por volta das 3h da madrugada. O pulmão estava todo comprometido. Morreu com falta de ar”, diz um amigo em áudio.

O corpo de Severo foi sepultado na manhã desta terça-feira, sem a realização de velório, e com a presença apenas de dois filhos uma cunhada.

Ainda não se tem a confirmação se Severo foi mais uma vítima do Covid-19. O resultado do teste deverá ficar pronto em seis dias.

Os familiares e quem teve contato nos últimos dias com Severo devem passar a cumprir determinações de isolamento e monitoradas por equipes da SES.

Severo era ex-jogador com por vários clubes  profissionais, como Tupan, Vitória  do Mar e MAC . Teve seu auge nos anos de 1977 quando ganhou o troféu  Bola de Prata do campeonato brasileiro, como um dos melhores  volantes da época atuando pelo MAC. Severo atuava no meio de campo.

A Guarda Municipal de Vargem Grande (uma das mais atuantes Guardas Municipais do estado do Maranhão), recuperou mais uma moto com registro de roubo/furto.

Segundo o relatório da Guarda Municipal, na tarde desta terça-feira(31), por volta das 16h30m, durante uma ronda de rotina, a GCM de Vargem Grande avistou uma motocicleta Honda CG 125 titan, cor vermelha, de placa HPB-8630, estacionada ao lado da Casa Lotérica, na rua Cesar Viana, no centro de Vargem Grande.

Após consulta no sistema Sinesp, foi constatado que o veículo estava com registro de roubo/furto. Logo em seguida, os guardas municipais realizaram a abordagem ao proprietário, o qual informou que havia comprado a motocicleta de terceiro.

A veículo foi encaminhado para o pátio da Guarda Municipal  para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

O Senado aprovou nesta segunda-feira (30) o pagamento de um auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600, destinado aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa. Chamada de “coronavoucher”, a ajuda vem para reparar as perdas de renda para algumas fatias da sociedade durante o período de isolamento, quando as oportunidades de trabalho para essas categorias estão escassas.

A aprovação foi unânime, com 79 votos favoráveis e apoio dos senadores da oposição e do governo. O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), foi um dos vários parlamentares que se manifestaram. “Estamos precisando de tais iniciativas de injetar na veia o dinheiro para o cidadão comprar comida e sobreviver a essa calamidade. A primeira vez que o dinheiro vai chegar na mão do povo vai ser nesse projeto. É calamidade, as pessoas estão precisando.”

Tramitação

O plenário da Câmara dos Deputados havia aprovado no último dia 26 o pagamento do auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600. Inicialmente, o valor proposto pela Câmara era de R$ 500. Após negociações com o líder do governo, deputado Vitor Hugo (PSL-GO), o governo federal decidiu aumentar para R$ 600.

Em transmissão ao vivo pela internet no dia 25, o presidente Jair Bolsonaro destacou que o auxílio é voltado aos trabalhadores informais (sem carteira assinada), às pessoas sem assistência social e à população que desistiu de procurar emprego. A medida é uma forma de amparar as camadas mais vulneráveis à crise econômica causada pela disseminação da covid-19 no Brasil, e o auxílio será distribuído por meio de vouchers (cupons).

Consenso

Após a aprovação, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) destacou que o projeto é um consenso entre Congresso Nacional e governo federal. Já o líder do governo na Casa, Fernando Bezerra (MDB-PE), afirmou que mais de 30 milhões de brasileiros serão beneficiados com essa medida.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que, graças a um ajuste de redação, o benefício também contemplará inscritos no Cadastro Único após o dia 20 de março. Em seguida, o líder da oposição afirmou que esse não é o momento de priorizar as finanças do Estado. “Não cabe se pensar em gasto público. Esse é um momento emergencial, que temos que atender as necessidades das pessoas”.

Logo após a aprovação, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, usou o Twitter para pedir ao presidente da República a sanção imediata do projeto. Alcolumbre está afastado de suas atividades após ter sido diagnosticado com o novo coronavírus.

Inclusão de outras categorias

Outro projeto já ganha forma no Senado, para incluir outras categorias, como motoristas de táxi ou de aplicativo e pescadores sazonais, dentre outros a serem definidos. Weverton Rocha (PDT-MA) lembrou dos músicos, que perderam trabalhos durante o isolamento. Essa pode ser outra categoria a entrar no novo projeto. Esse texto, previsto para ser votado amanhã (30), será de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e tem relatoria de Esperidião Amin (PP-SC).

Vieira foi o relator do projeto aprovado hoje. Seu nome foi escolhido justamente por conhecer bem o tema e já discutir a inclusão de novas categorias a partir das emendas que recebeu para análise. As emendas não foram acatadas para evitar que mudanças de mérito do projeto o fizessem voltar à Câmara.

Um ônibus lotado de trabalhadores de Itapecuru  vindo de São Paulo desembarcou na tarde desta segunda-feira(30), na Rodoviária do povoado Entroncamento.

Segundo informações, o pessoal foi despachado do trabalho e aproveita a pandemia para visitar familiares, mesmo com campanhas e recomendações das autoridades para que não saiam de casa.

Vale lembrar, que o estado de São Paulo tem o maior número do novo  coronavírus positivo, assim como o mais alto índice de óbitos.

O assunto do momento que mais ganha repercussão nos bastidores políticos de Presidente Vargas, foi a notícia que o prefeito Wellington Uchôa renunciou sua reeleição  e lançou  a sua maior rival, a ex-prefeita Aninha como sua candidata.

De acordo com uma fonte, o prefeito se reuniu na calada da noite e fez um acordo com o marido da sua candidata, Zé Augusto. Não se sabe ao certo o que rolou por detrás do acordo, mas há relatos, que um  deputado federal, aliado de Zé Augusto, garantiu cifras de milhões!

Ainda de acordo com a fonte, além de recurso, o prefeito Wellington e seu grupo terão espaço no governo, caso Aninha seja eleita.

A fonte também informou, que além da indicação do vice prefeito, que Wellignton indique secretários para trabalharem para o município.

Nesta manhã o blog enviou uma mensagem via Whatsapp para o prefeito Wellington Uchôa, perguntando sobre o assunto, porém, só visualizou e preferiu não responder.

Vale lembrar,  que Aninha perdeu sua reeleição para o empresário Herialdo Pelúcio, que faleceu 6 meses após a posse assumindo, então, o vice e atual prefeito Wellington Uchôa.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) monitora mais oito casos de COVID-19 registrados em São Luís. No total, até o momento, o Maranhão confirmou 31 casos, sendo um óbito, de infecção por COVID-19.

Com o resultado de exame laboratorial, oito novos casos foram registrados em São Luís. São eles: homem, 48 anos; mulher, 43 anos; mulher, 60 anos; homem, 35 anos; mulher, 27 anos; mulher, 33 anos; homem, 41 anos, e mulher, 35 anos. Dos novos casos confirmados nesta segunda (30), dois estão internados. Os demais seguem em isolamento domiciliar.

Sobre as 22 pessoas ainda monitoradas pelo CIEVS, dois seguem assistidos por hospital da rede privada e um na rede pública. Todos apresentam quadro de saúde estável.

1 2 3 14
Como podemos te ajudar?